Culturas do Som

Formador: Francisco Luís Parreira

1º Módulo: 09, 16, 23 e 30 de Março de 2019 

Inscrições até 02 de Março de 2019

Apesar do interesse de que, nos últimos anos, tem sido objecto no panorama editorial internacional, a área do som como objecto dos Estudos Culturais e da Teoria da Cultura ainda permanece, entre nós, ausente do debate académico e artístico. O presente curso pretende contribuir para uma visão sinóptica dos processos que transformam o som e as pragmáticas sonoras em factores centrais de inscrição, identificação e reprodução cultural. Privilegiando a história ocidental do som, o curso define quatro grandes áreas de agrupamento temático — Voz, Ruído, Tecnologias, Subculturas — na relação com as quais, por um lado, reflecte genealogicamente os processos formativos na produção, recepção e arquivo do som, e, por outro, procede a análises culturais de produções sonoras (por exemplo, a Ópera, o Jazz, o Hip-hop).

Conhecimentos e aptidões a desenvolver pelos participantes

_ a aquisição de competências críticas e analíticas sob o ponto de vista da economia cultural do som;

_ o reconhecimento conceptual de técnicas e dispositivos aurais como codificadores culturais;

_ a percepção dos modos de inscrição cultural da tecnologia sonora contemporânea;

_ a contextualização sistemática de ecologias aurais activas na cultura contemporânea;

_ a aquisição de parâmetros para a inscrição significativa da própria prática (actual ou futura) no panorama do debate cultural contemporâneo.

Programa

Módulo 1. Voz, palavra e sentido na cultura vocal europeia.

1) Uma cisão no feitiço da voz: música e palavra na cultura clássica, das Sereias a Platão.

2) Tentação e repressão da voz: da liturgia cristâ à Revolução Francesa.

3) A “libertação” do prazer vocal: os castrattie o significado cultural da ópera.

4) O retorno de orfismo e a idade crepuscular dos poetas. Crítica do silêncio, entre Rilke e Beckett.

Módulo 2. A distinção entre ruído e som organizado e a sua crítica no século XX.

1) A noção de paisagem sonora: exemplos históricos (Florença renascentista, Paris oitocentista). O Jazz e a paisagem sonora modernista.

2) O Futurismo, Edgard Varèse e as origens da música electrónica.

3) Crítica da paisagem sonora contemporânea: schizophonia e repetição.

4) O significado de John Cage sob o ponto de vista de uma teoria cultural do som.

Módulo 3. Industrialização e reprodução tecnológica do som.

1) As tecnologias de mediação sonora e a produção da subjectividade: do fonógrafo ao Mp3.

2) Crise da experiência e regressão da escuta. Tipologias modernas da audição e crítica respectiva: Brecht, Schöenberg, Arnheim, Adorno.

3) O som organizado enquanto mercadoria pura: o muzake o rock.

4) Novas estéticas e práticas da audição: a reformulação dos papéis aurais, a assinatura da escuta, e a invenção do auditor: de Paul Valéry a Glenn Gould.

Módulo 4. Neomodernismo sonoro: cosmopolitismo, multiculturalismo, globalização.

1) A sound art com relação à situação das artes desde a 2ª metade do século XX.

2) Do be-bop e do free jazz ao improviso da palavra. A estética Hip Hop.


3) Reterritorialização e glocalidade sonora. Uma etnografia aural pós-moderna.

4) Engenharia de guerra e governamentalidade política sob o ponto de vista da cultura do som.

Metodologia

Apresentação pelo formador dos conteúdos programáticos. Todos os pontos do programa envolvem instâncias textuais ou sonoras que permitirão apoiar a formação em estudos de caso, abertos à investigação e à contra-argumentação dos participantes.

Formador

Francisco Luís Parreira é doutorado em Ciências da Comunicação, na especialidade de Cultura Contemporânea e Novas Tecnologias (UNL, 2012). Grau de Mestre na mesma especialidade e instituição. Obteve a licenciatura em Filosofia (FLUL, 1987) e uma pós-graduação em Ciências Diplomáticas (ISCSP, 1989). Leccionou a cadeira de Estudos Culturais do Som na licenciatura de Culturas e Tecnologias do Som (ULHT). Além desta, as suas áreas de ensino e produção académica têm sido as artes performativas, a historia do teatro, a teoria política e a estética. No teatro, tem exercido actividade como autor e dramaturgo. Publicou poesia e teatro. Tem actividade como guionista e crítico literário. Traduziu, para a cena ou para edição, entre outros, Beckett, Yeats, Bernhard e Pinter. É responsável pela edição crítica em língua portuguesa do poema babilónico Gilgames.

Duração e local

O curso divide-se em 4 módulos e cada módulo em 4 sessões semanais de 3 horas cada. Sessões aos sábados de manhã, das 10h às 13h, com intervalo de 15m (se preferido pelos participantes, o horário pode ser acomodado a horário pós-laboral em dia de semana).

1º Módulo: 09, 16, 23 e 30 de Março de 2019.

Os módulos 2, 3 e 4 serão realizados ao longo do corrente ano (datas a anunciar).

Local: Transboavista VPF Art Edifício (antigo Palácio Marquês de Sampaio), Rua da Boavista, 84, Lisboa.

Inscrição

A cada Módulo corresponde uma inscrição autónoma, no valor de 32,00€.

Inscrição electrónica através do endereço info@pogo.pt.

O pagamento (32,00€) deverá ser realizado por Transferência Bancária para:

CGD
PT50 0035 0355 00026286431 97
CGDIPTPL

 

Deverá enviar um e-mail com a indicação do nome, morada, NIF, telefone, e-mail, profissão e o comprovativo de pagamento. A inscrição é confirmada após pagamento do valor indicado.

Data Limite de Inscrição: 02 de Março de 2019

Número mínimo de participantes: 10. Número máximo: 25.

Em caso de desistência:
Haverá lugar a reembolso do valor total da inscrição quando a desistência for comunicada até 8 dias úteis antes do workshop. Depois dessa data, o reembolso só poderá ser considerado se o lugar for preenchido.
Caso o curso não se realize por falta de participantes, ou por outro motivo, o valor da inscrição será devolvido na sua totalidade.

Contacto útil: 964 667 487

Mais informações sobre os Cursos Livres POGO aqui

 

%d bloggers like this: